quarta-feira, 30 de março de 2011

POUCAS E BOAS!!!

Acho com tristeza... que não conseguirei mesmo mais lecionar. O TAB vai me incapacitando para atividade ágil e estressante, mas de um prazer de pessoa vocacionada que sou. Na escola do Estado querem me dar a sala da biblioteca. Triste fim da professora maluquinha... a velhinha doente da biblioteca. Esperando aposentadoria. Fazer? Ainda vou descobrir e serei feliz.


CONQUISTAS RUMO A ACESSIBILIDADE INSTITUCIONAL
Raquel, coordenadora do CAS, centro de apoio ao surdo e coordenadora de residência terapêutica me informou hoje que fomos lembrados na última reunião do CONEDE, alguém levantou a questão de um assento para a saúde mental. Muita luta de sensibilização principalmente para Deusalena e Rejane Dias.
Sandra Leite do CONADE, conselho ligado ao município também afimou rede conosco para confecção de possível centro de referência em educação inclusiva para crianças com transtornos mentais e que nos convidará para próxima reunião


ONDE ANDA BEATRIZ?

Continua com a respiridona com todas as dificuldades para conseguí-la que passa pelos psiquiatras acharem-na tão lúcida que precise segundo eles de uma medicação mais leve, então receitam as convencionais. Ora, ela está bem porque a respiridona está dando certo.
Sofrendo bulling na escola noturna com seu jeitinho ligeirinho, clássico de nosso povo. Tivemos que ligar para direção da escola e denunciar. Surdos, deficientes visuais, cadeirantes são mais tolerados. Louco tem que ser zoado?


PRECISAMOS DE MILITANTES
Falei hoje com umas dez pessoas, ninguém podia passar amanhã na SDU/sudeste para falar com o superintendente e saber do resultado de um oficio do dia 15 de fevereiro sobre o pedido para usarmos como sede, um espaço público abandonado na comunidade. Ninguém do grupo teve tempo ou tem condições de saúde  para fazê-lo. Interessados podem ligar ou enviar email.




terça-feira, 29 de março de 2011

SENSIBILIZAÇÃO CONTÍNUA EM SAÚDE MENTAL II

Cabelos e unhas por fazer. Disfuncional, não dava para trabalhar pela manhã
resolvi passar na sala da promotora Cláudia Seabra e registrar mais  um PA.

Passei um ano na Gerência de Saúde Mental, 2010, há pelo  menos oito meses começamos a fazer um trabalho de mapeamento dos cárceres privados de pessoas com transtornos mentais ou deficiência mental no Estado por encontrar nas visitas de supervisão aos CAPS não só do interior, mas também da capital situações de isolamento em quartos com grades, dentro ou fora dos domicilios. Registramos um Processo Administrativo (PA) para que a SESAPI, através da gerência de saúde mental (???), gerência de atenção básica (agora com estas denúncias de fraudes, é preocupante) e órgãos de Direitos Humanos: OAB e Defensoria Púlica possam se envolver na defesa da reabilitação destas pessoas. Alguns já são como passarinhos que precisam reaprender a voar ou voltam a gaiola, fiéis a anos dentro das grades. 

MAIS COMISSÃO ANTIDROGAS!!!


"Hoje tivemos a primeira reunião da Comissão Especial de Combate às Drogas.
Foi uma reunião muito produtiva. Tive a honra de ser escolhida para ocupar a terceira vice-presidência da comissão. Também vou coordenar as ações da comissão no nosso Estado. A ideia é fazer uma audiência pública na AL para ouvir as sugestões dos especialistas n...
a prevenção, no tratamento e na repressão. Teremos muito trabalho pela frente, mas tenho certeza de que valerá a pena. Não podemos mais perder tempo na luta contra o crack, um mal que está destruindo milhares de famílias. "
Deputada Iracema Portela, comemorando no Faceboock sua eleição para mais uma comissão especial antidrogas, essa da câmara dos deputados.

Fico cá pensando, se estes politicos que estão chegando agora na causa não podem apenas dar continuidade às políticas já existentes, buscando recursos, reforçando e dando apoio a muita gente que há anos trabalha na recuperação de dependência química. Cadê a Coordenação Nacional de Saúde Mental do Ministério da Saúde? Há ou havia boas propostas a serem desenvolvidas pelos Estados nesta área. Estes deslumbrados com o ouro de tolo deveriam está buscando financiamentos para estruturar, capacitar e pagar melhores salários a técnicos de CAPS ad nos municípios, capacitar atenção básica em redução de danos para o alcolismo, ainda devastador. Desenvolver legislação que coibisse os desvios destas verbas, premiar os municípios que diminuíssem seus índices de dependência química, isso com emendas que garantissem melhorias para toda população, incluindo qualidade de vida para ex dependentes quimicos e familiares."

BIODANÇA: PRÁTICA DA LEVEZA E DA SERENIDADE

segunda-feira, 28 de março de 2011

28/03/2011

Jornais Extra e O Globo denunciam médicos parnaibanos

O Globo faz denúncias graves do Programa Saúde da Família no Piauí e Maranhão

O Globo, edição digital desta segunda feira faz graves denúncias do Programa Saúde da Família no Piauí e Maranhão que segundo o jornal o atendimento só no papel e que as equipes de Saúde da Família não cumprem a carga horária e cita os municípios de Araioses-Ma e Cocal – PI, dentre outros.
Além dos desvios milionários, o Sistema Único de Saúde (SUS) é corrompido por informações falsas em seus cadastros, que permitem a médicos manter o credenciamento em até 17 unidades de saúde, e abrem brechas para o comércio de CPFs com o objetivo de burlar as regras do Programa Saúde da Família (PSF). Como revela reportagem de Roberto Maltchik, publicada pelo GLOBO nesta segunda-feira, as irregularidades prosperam no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde e suas consequências ficam explícitas em relatórios do próprio governo. Segundo a Controladoria Geral da União (CGU), em mais de 40% dos municípios, as equipes de saúde da família não cumprem a carga horária. Em 36,5% das 982 cidades fiscalizadas de 2004 a 2009, o atendimento foi considerado deficiente.

Nos cadastros do SUS, o psiquiatra Klecius Ramos Mota, de Cocal (PI), é onipresente. Ele tem 17 vínculos, dos quais 16 seriam com o SUS em duas cidades do Piauí e um no Maranhão. Assim, sua carga de trabalho semanal chegaria a 34,14 horas diárias, sete dias por semana. Já o médico Antônio Nivardo Vieira trabalharia 21,7 horas diariamente, com seus 13 vínculos e 152 horas de trabalho semanais.

O que liga esses dois profissionais são os vínculos de 40 horas semanais com o Hospital Regional de Araioses, no Maranhão. Nivardo diz que há oito anos não pisa na unidade, apesar de o cadastro ter sido atualizado pelo município no último dia 17. Segundo ele, trata-se de um jogo de Araioses para ganhar mais dinheiro do SUS:

— Quando é para renovar o cadastro junto ao SUS, eles têm que ter a equipe para poder apresentar. Aí, usam indevidamente o nome da gente para fazer esse tipo de coisa. Meu nome também aparecia lá na Apae de Magalhães de Almeida (MA), mas nunca fui lá — diz o cirurgião, que hoje se dedica à clínica particular e, no tempo que sobra, atende na Unidade Básica de Saúde de Cocal (40 horas) e em outras duas unidades.

O médico aponta a indiferença do Ministério da Saúde:

— Há uns dois anos, telefonei para o ministério em Brasília para denunciar isso; eles se prontificaram a tomar providências, mas ficou só naquilo mesmo.

Como o Ministério da Saúde passou a suspender os repasses em que há duplicidade de integrantes das equipes de Saúde da Família, uma nova modalidade de fraude ganha corpo e está sendo investigada pelo Ministério Público no Piauí e no Maranhão. Médicos alugam ou pedem emprestado o CPF e o CRM de colegas para trabalhar em duas ou mais cidades. Só no Piauí, a fraude já foi detectada em São Miguel do Tapuio, Dom Expedito Lopes, Jardim do Mulato e Nossa Senhora dos Remédios. Em Nossa Senhora dos Remédios, são 17 casos confirmados por auditores do SUS: sete médicos, sete dentistas e três enfermeiros.

Confira a íntegra da reportagem no Globo Digital (conteúdo exclusivo para assinantes)

Fonte: Extra e O Globo
Edição: Jornal da Parnaíba
Blog do Pessoa
 
Há alguns metros do CAPS de Cocal temos um caso de cárcere privado. As últimas notícias que tive é que lá não havia mais profissional de nivel superior, Cocal é uma cidade bastante dependente de Parnaíba, então quase todos seus profissionais são ou eram de lá. Se o psiquiatra não aparece, segundo a notícia acima e as equipes de ESF não cumprem seu papel como deviam... sinto muito mesmo pela usuária presa num quarto com janela com grades, mas sem forras. Um buraco na parede que nunca se fecha e como na maioria dos casos de cárceres privados de pessoas com transtornos mentais, um idoso é que cuida. Triste. Uma questão a ser tratada pelos Direitos Humanos, notificação da familia pelo MP. Esta semana registraremos mais um PA  no Ministério Público, este especialmente sobre a questão dos cárceres privados e a intervenção psicossocial e saúde básica. Mais esta informação com este grau de gravidade é petubadora e mina muitas nossas esperanças que estas pessoas tenham alguma chance de escapar para a reabilitação.

A LUTA POR UM ESPAÇO DE ENCONTRO

O Amigo no Ninho apesar de formalmente legalizado, ainda não tem sede própria. O terraço da minha mãe e o endereço dela nos servem oficialmente. Temos alguns espaços públicos abandonados literalmente na comunidade, mas não conseguimos ainda o uso de algum deles.
Aqui com meu muito amigo Magno Junior, colega de Ciências Sociais, mestrando na primeira turma do mestrado de Ciências Políticas, funcionário administrativo da UFPI, nesta foto entregamos um ofício para que possamos usar quinzenalmente ou mensalmente uma sala do CCS da avenida Frei Serafim, por ser um endereço central e porque insistimos em sensibilizar o meio acadêmico para a questão, acolhendo em nosso grupo de apoio vários estudantes que vivem ou convivem com o transtorno mental. Amigos do Ninho, fiquem na torcida que consigamos, porque a UFPI também vive delicado momento de confrontos politicos que infelizmente sobra para a comunidade que não precisa somente da pesquisa, mas também da extensão. Torçamos, nossa proposta já antiga, é organizar o I Consultório Ampliado em Saúde Mental, que tem como principal meta trabalhar com as práticas integrativas e complementares voltadas para saúde mental.

SENSIBILIZAÇÃO CONTÍNUA PARA ACESSIBILIDADE EM SAÚDE MENTAL



As fotos acima são da audiência pública na Promotoria de Justiça e de Defesa da Pessoa com Deficiência e do Idoso sobre a realização de concurso público para contratação de intérprete tradutor de LIBRAS no Estado do Piauí e no Município de Teresina, eu fui a reclamante. A Secretaria de Educação do Município (SEMEC) a reclamada, encontrou uma solução imediata para o caso de minha filha surda, de dez anos no sexto ano, antiga quinta série, que precisa de um interprete de LIBRAS em sala de aula, um professor com formação em LIBRAS, intérprete já assumirá a turma na segunda-feira. E o projeto de lei para criação do cargo de intérprete no município recebeu 60 dias para sua execução e consequentemente após sairá edital de concurso. Bom que as entidades ligadas a surdez, se mobilizem mais para pedir agilidade a SEMEC, ano que vem é  de eleição.
Mas encerrada a audiência para mim muito produtiva. Aproveitei para conversar com a promotora Myrian Lago, sobre o caso das crianças psicóticas que não tem nenhum tipo de acessibilidade, pensando em termos de educação inclusiva. Nada é pensado para elas. Ainda permeia no pensamento comum que existe graus de transtornos inacessíveis de meios terapêuticos que os controle, os severos e persistentes. Essas crianças fazem o velho eletroencefalograma e não tem nenhum dano neurológico, mas demonstram um comportamento diferente na sua forma de "está" no mundo, aprendem rápido ou com dificuldades, são agressivas ou passivas demais, tem atitudes bizarras, às vezes parecem em crise mental: falam sem nexo ou parecem distantes, não se interessam por atividades comuns e outras atitudes que denotam que serão pessoas vivendo com uma patologia mental.
Só temos o CAPS i, me deram a informação que só existe nesse momento no SUS em Teresina, um único neuropediatra que poderia formular diagnósticos de autismo. Com respeito aos profissionais do CAPS i, mas o único diagnóstico que a instituíção fornece é retardo mental, leve, moderado e no cotidiano escolar percebemos que esta criança produz cognitivamente, mais lentamente ou no tempo equivalente a das outras crianças com dificuldades de aprendizagem, não diagnosticadas. Lutamos por um centro de educação inclusiva para crianças psicóticas. Com atividades de educação lúdica, de concentração e memorização, prática de esporte e artes.

MAIS SOBRE O HAA NA REDE

Bom dia!

Agradeço pelos esclarecimentos de que nunca houve desativação da ETAC - pelo contrário, esta encontra-se mais dinâmica e resolutiva.
Também não estamos sofrendo de superlotação, como faz entender a nota divulgada no jornal. Com incremento do trabalho do serviço social do hospital, abreviação do tempo de internação com uso de medicações mais modernas e integração de práticas não-medicamentosas, temos conseguido administrar a demanda que recorre a este serviço.
A revitalização do Hospital-Dia demonstra nossa preocupação em oferecer um tratamento mais próximo da família, da sociedade e com manutenção da independência do paciente.
Sei que caminhamos juntos nesse sentido.
Um abraço, Ediwyrton Freitas (comentário do post HAA na rede)

Um técnico havia me informado sobre a extinção da ETAC, por isso é bom conferir in loco. Quanto o sofrido deslocamento de familiares que vem de municípios próximos onde há CAPS instalados ou nas proximidades ou mesmo de outros Estados, ainda temos uma pessoa Rosário Nunes respondendo pela coordenação destes, mesmo nas limitações impostas pelas circunstâncias de não haver ainda um gerente, pedimos encarecidamente sua sensibilidade para deslocá-se até o HAA e ver por si mesma a situação, fazendo contato com as equipes dos municípios ou Estados, ação que reforçaria o trabalho do Serviço Social do HAA, que é bastante competente na defesa dos direitos do usuário. Já fiz parte da equipe,  que não faz mais é por conta das limitações das próprias políticas públicas.
As condições dos familiares é muitas vezes precárias. Ás vezes fico pensando que existe uma igreja (católica) dentro do hospital que nem permite que usuários mais funcionais possam assistir missas. Digo porque tentei fazer este trabalho enquanto bolsista estagiária em 2001, então aquele espaço deveria se constituir talvez numa casa de passagem para abrigar este familiar, próximo do seu paciente durante as 72 horas ou os 17 dias ou 20, a brevidade  de uma internação, salvo engano, informado pelo diretor clínico, que o HAA se esforça para cumprir. Apesar das instalações limpas, iguais ao que qualquer hospital conveniado no SUS oferece ao acompanhante. Não fotografei por respeito aos próprios familiares, mas na área da ETC, vemos cadeiras e cadeiras servindo de varal para secar roupa e toalhas. Uma casa de passagem no lugar da igreja ou um trabalho que a igreja poderia desenvolver filantropicamente com estas familias deixando-as mais próximo do HAA, numa casa alugada pela diocese ou outros benfeitores sensibilizados. Infelizmente não podemos contar com a boa vontade do governo W.M., não preciso aqui dizer os motivos. Devemos correr atrás para aliviar necessidades daqueles que precisam, por isso que existe ONG (honesta) para fazer onde o Estado não atua.

sábado, 26 de março de 2011

COMUNICAÇÃO DE ORGANIZAÇÃO V

Subject: RE: I ENCONTRO ESTADUAL DE USUÁRIOS AD: REDUÇÃO DE DANOS
Date: Fri, 25 Mar 2011 01:22:07 +0000

Caros amigos, Sandra, companheiras da gerência de saúde mental, George e demais técnicos envolvidos na confecção do Seminário de enfrentamento, que como frisou George, tem uma variedade de temas que levam a uma complexidade, e até uma qualidade duvidosa se todos forem tratados no mesmo espaço e tempo. O Ninho defende o protagonismo do usuário, que as entidades ligadas a ad, que lidam no cotidiano com estas pessoas possam estarem não apenas convidadas para ouvir técnicos renomados de fora ou daqui mesmo, mas que possam estarem envolvidas no processo de organização, senão do seminário de enfrentamento, mas que o comitê pelo menos receba um projeto do I Encontro de usuários ad: Redução de Danos/ políticas de enfrentamento ad, protagonismo e autocuidado, que queremos que aconteça concomitante,  e possa levá-lo a apreciação da Câmara de enfrentamento, se houver essa possibilidade. Esta é a representação que eu, Edileuza, defendo como coordenadora do Ninho, uma organização que se organiza mobilizando redes sociais.
O papel da Rede de Apoio e Suporte em Saúde Mental - Amigo no Ninho é bem definida no processo, nosso interesse é mobilizar as entidades, usuários, familiares que vivem e convivem com a dependência química para também pensar e contribuir para o sucesso das política públicas elaboradas pelo Estado para eles, na perspectiva do protagonismo e empoderamento destes grupos, conforme resoluções IV conferência nacional de saúde mental-intersetorial,  e luta permanente antimanicomail e movimento da reforma psiquiátrica brasileira. Aguardamos respostas positivas dos companheiros.
Edileuza Lima
Assistente Social
1544/22ª Região

sexta-feira, 25 de março de 2011

SOBRE O HOSPITAL AREOLINO DE ABREU NA REDE

Fui conferir o que a nota do jornal reproduzida no post abaixo tinha de real. Falei com o próprio Dr. Edwyrton de Freitas, atual diretor clínico (sem portaria) e presidente da Associação Piauiense de Psiquiatria. Como já falei, se passares alguns anos, dez ou mais, voltando ao HAA parece que as cenas são as mesmas, as pessoas estão para sempre fazendo as mesmas ações. Pacientes em crise aguda chegando na admissão. Mães ou irmãs com carinhas de sofridas, não mais que a dor do desatino, do desespero mental de quem grita com uma dor invisível. Imagino, arrepiada: aquele coquetel de medicações convencionais, as impregnações, o processo é de amputação de identidade.
O diretor clínico me mostra números de internações menores de mulheres e mais homens. A enfermaria de crise não acabou e entro com minha amiga assistente social Francisca Soares para ver. Nossa, a maioria dos usuários são pacientes de municípios que tem CAPS ou  próximos. A ETAC tem uma nova estrutura, dois psiquiatras, Drs. Edwirton e Darcy e uma assistente social Maria José Girão, coordenadora do CAPS norte, ela fica somente a tarde e ao lado, no mesmo espaço temos a enfermaria clínica. Ainda fui informada que o hospital dia sofre uma revitalização, com a internação aberta de pacientes de longas internações integrais. Encontrei usuários de CAPS de Teresina tentando uma vaga. Os técnicos não são nem informados da acentuação de uma crise. A prática antimanicomial precisa entrar na cultura do cuidador, da familia, do técnico. Dependemos disso. Não culpo as equipes dos municípios diretamente: estão sem comando, sem orientação, sem capacitações continuadas, no caso dos cárceres privados e dependência química. Dr. Edwirton disse que a APP pretende, organizar cursos sobre atenção psicossocial nos municípios pela necessidade dos profissionais desqualificados. Particulamente, fui conversar com ele enquanto APP porque é um profissional jovem, é familiar, espero que tenha sensibilidade de está patrocinando também capacitação continuada para nossos psiquiatras da respeitada e velha guarda. Todos saimos ganhando, nesse momento que técnicos e usuários estão por sua própria conta e ética.

quinta-feira, 24 de março de 2011

A LIDA CONTINUA...

O governo da saúde não anda tão saudável nesta área. Infelizmente para quem necessita da saúde pública. Hoje Cláudia Seabra ao vivo dava entrevista em canal de televisão sobre a interminável e sofrida novela dos usuários dos serviços do HUT. Terrível.
Enquanto isso, hoje também, 24, uma notinha de no máximo seis linhas no jornal Diário do Povo, numa página de política, coluna Em Tempo dizia: Areolino (título da nota) "Os pacientes que procuram o Hospital Areolino de Abreu estão tendo que esperar por vagas para internação. Famílias que vem de outros estados passam por sérias dificuldades porque não podem voltar com seus pacientes e também não tem como se manter em Teresina." colunaemtempo@bol.com.br
Nenhuma novidade nesta nota, e mais procuras teremos com a aproximação da semana santa, as familias querem viajar sem levar seus familiares com transtornos mentais, muitos não estão nem em crise aguda, ficam agitados, depressivos, nervosos com a perspectiva de ficarem sozinhos, os normais provocam a crise e internam. Essa é a função do manicômio.
Quando tínhamos uma pessoa que respondia pela gerência comprometida com a atenção psicossocial, tentava-se negociar com as equipes de CAPS dos municípios para que este paciente ficasse em seu território, ou seja seu município. Estamos a três meses sem um (a) coordenadora que acompanhe estes processos no Estado e temos na gestão do HAA, representantes da psiquiatria tradicional, a primeira coisa que fizeram foi acabar a enfermaria de crise que obrigava a familia a acompanhar seu paciente por 72 horas, acompanhado por uma equipe multidisciplinar, identificando que esta pessoa poderia sair para um serviço de tratamento comunitário, era encaminhado para os CAPS. Mantendo-se assim muita gente fora do ciclo de internações e sobrando vagas nos pavilhões. Que realmente em situações de crises agudas de crônicos, com toda dificuldade de orientação, entendimento ou não entendimento familiar ainda são necessárias.
Nos casos de pacientes de outros Estados, o SUS tem o programa Tratamento fora do domicílio, que paga passagens e diárias para a familia acompanhar seu familiar. Está na hora de começarmos a lutar por este direito para pessoa que vive com transtorno mental. Bem, que no caso do HAA o outro "Estado" é Timon, com os desmandos da prefeita Socorro Waquim por lá, tem sobrado para os usuários, que atravessam a ponte em busca do socorro em Teresina.

ACESSIBILIDADE V

Márcia Raica, coordenadora de educação inclusiva da SEDUC

Amélia sua assessora, sem acreditar muito em mim. Que cara zangada!
Participei do processo seletivo simplicado para centros de Apoio Especializados, vagas de cadastro de reserva ( mas com vagas, desocupados nos centros, porque todo ano existe este processo seletivo), para psicólogo, psicopedagogo, terapeuta ocupacioal, fisioterapeuta, assistente social, fono, musicografista para braille e psicometricista para atuarem nos Centro de Apoio ao Surdo (CAS), Centro de Apoio ao Cego (CAP), CIES e Ana Cordeiro.
Segundo o edital 10% das vagas são destinadas a pessoas com deficiências. Peguei meu atestado CID F 30 alguma coisa, o psiquiatra informa que estou estável e poderia fazer assumir o cargo. Nossa, sem tempo fui no último dia de inscrição, como muita gente "normal" não levei os originais de tantos documentos exigidos. Usei do ganho secundário, fiz uma confusão, cansada e sem tempo, não teria como voltar em casa e pegar tais originais. Fiz o que se espera de uma pessoa que tem "doença mental". Ser desordenada. Passei para segunda etapa, entrevista. Não tive tempo de ler o site, tinha lá informação que precisava novamente levar a tal identificação de registro no conselho. Lá vou eu, de volta em casa. Burocracia da normalidade, louco tem dificuldade de entender, a vida pode sim, ser mais simples e boa, com menos regras ( desnecessárias ) a serem seguidas.
Insisti  na entrevista que me avaliassem levando em conta que era pessoa com necessidade especial, alguém não havia acreditado e nem marcado na inscrição que estavacom as entrevistadoras. Tenho pouca paciência com a impaciência de alguns normais. A entrevista foi chata e teve momentos que aquelas senhoras não sabiam do que eu estava falando. Gosto de defender idéias novas e ações. Burocratas são como tecnologias ultrapassadas, não processam. Nota 6, 6 que me levou para a posição 10ª entre as 11 classificadas para Serviço Social. Ontem fui lá cobrar, o direito da inclusão, levei o decreto 3.299 que dá as normas para integração da pessoa com deficiência no mercado de trabalho, as cotas principalmente. Nos enquadramos com dificuldades "jurídicas" na deficiência mental, na questão cognitiva e das limitações associadas as áreas de habilidades sociais adaptativas, mas na minha leitura, dependendo da qualidade do tratamento médico, psicoterapêutico, terapeutico complementar ao medicamentoso se necessário, somos aptos ao trabalho.
Os profissionais da educação me trataram como um E.T., coisa estranha, pessoa querendo ser louca e querendo direitos. A surpresa é evidente. Mas foi uma boa conversa. Tenho vínculo efetivo com o Estado e não poderia assumir mesmo, segundo o edital. Mas valeu o laboratório! Outros que realmente precisem de trabalho tenham a coragem, ousadia e muito poder de convencimento, além do atestado médico, que alguns psiquiatras não sabem fazer. É preciso colocar o CID do transtorno em remissão, explicar para o perito ou médico do trabalho também entender e tenha uma cópia do decreto na mão. ´Pense na lucidez!

ASSOCIAÇÃO DOS TRAVESTIS E TRANSEXUAIS DE TERESINA (ATRAPI)

V   ENCONTRO   MUNICIPAL  DE TRAVESTIS E TRANSEXUAL DE  TERESINA



FIXA DE INSCRIÇÂO



NOME________________________________________________________________

NOME SOCIAL________________________________________________________

DATA DE NASCIMENTO_____/_____/___________

ENDEREÇO:

RUA_______________________________________________Nº_________________

CIDADE__________________ESTADO_________________CEP________________

TELEFONE_______________________________________________

RG_____________________________CPF___________________________________

E –MAIL_______________________________________________________________

ESCOLARIDADE_______________________________________________________

 ENTIDADE//ORGÂO____________________________________________________ 

IDENTIDADE DE GENERO

(     )HETEROSSEXUAL(       ) GAY  (       )LESBICA(       )TRAVESTIS  

(       )TRANSEXUAL


DATA      /          / 

  As fichas deverão ser preenchidas e devolvidas  para o seguinte E-mail  ATRAPI_PI@HOTMAIL.COM
Data e local ainda não definidos. Monique Alves, organizadora agradece e deixa telefone: (86) 8806-6434





 


quarta-feira, 23 de março de 2011

NINHO: PARCEIRO EM CAUSAS QUE SÓ MOVIMENTO ESPECÍFICO ENTENDE A IMPORTÂNCIA DAS LUTAS!

Travestis serão, finalmente, soltas‏

 O Juiz da 3ª Vara Criminal de Teresina, Samuel Mendes de Morais, emitiu hoje despacho concedendo a liberdade provisória das travestis Paloma, Marcela e Piripiri, presas no dia 13 de fevereiro, sob acusação de terem cometido crime de roubo contra o mecânico Reginaldo Neves dos Santos. Na decisão, o magistrado entende não haver mais razões que justifiquem a manutenção da prisão. Inicialmente, as travestis ficaram detidas no 4º Distrito de Teresina, mas foram recambiadas para a Penitenciária de Parnaíba. O alvará de soltura foi expedido hoje, mas há o risco de as travestis não serem soltas logo porque a Penitenciária de Parnaíba alega que não tem como trazê-las agora para Teresina, pois depende de viaturas da Secretaria da Justiça.
 ENTENDA O CASO:
 No dia 13/02/2011, as travestis Paloma, Marcela, Piripiri e Marcelinha foram presas "em flagrante", sob a acusação de terem praticado crime de roubo. A suposta vítima seria Reginaldo Neves de Sousa (processo nº 34432011 - relatório disponível em: ttp://www.tjpi.jus.br/site/modules/themis/Processo.)
 Em 21 de fevereiro, a advogada Audrey Magalhães entrou com pedido de relaxamento de prisão, listando no pedido nas várias irregularidades existentes no flagrante. O principal fundamento do relaxamento é o art. 5º, LXV da Constituição Federal que prevê "a prisão ilegal será imediatamente relaxada pela autoridade judiciária". Ao receber o pedido, Juiz da 3ª Vara Criminal produziu o despacho "Fale o Ministério Pùblico". Embora desde o dia 21/02/2011 os autos se encontrassem com vistas ao MPE, somente hoje (28/02/2011) foram remetidos àquele órgão. No dia 22/02, o Delegado do 4º Distrito Polícial, Josimar Brito, concluiu o Inquerito Policial e o enviou para o Judiciário. No relatório, o Delegado não indicia a travesti MARCELINHA (MARCELO OLIVEIRA LIMA), porque as provas existentes nos autos (inclusive depoimento de testemunhas) apontam que Marcelinha não estava no local onde o crime, supostamente, teria ocorrido. Somente 07 dias depois, Marcelinha foi solta. VEJA
ALGUMAS IRREGULARIDADES QUE SERÃO RELATADAS PELO MATIZES: - Segundo declaração da suposta vítima, o roubo teria ocorrido por volta de 1:30 da madrugada. Entretanto, somente no final da manhã, por volta das 10h30min, as travestis foram presas em uma casa na Vila Irmã Dulce, depois que policiais militares invadiram, sem ordem judicial, a residência; - Embora o "flagrante" tenha ocorrido no dia 13/02, somente 04 dias depois foi homologado pelo Juiz. Dois fatos curiosos chamam atenção no flagrante, mas que não foram percebidos pelo Juiz: 01. a travesti de nome "Piripiri" (Walteres Peixoto) indicou como pessoa da família a ser comunicada sua mãe, que reside em Piripiri. Nos autos, consta somente uma declaração de que o comunicado da prisão foi feito através do Delegado daquela cidade.
 02. Já a travesti Paloma (Edvan Mendes de Sousa) indicou um endereço em Timon para comunicação da prisão a seus familiares. Curiosamente, o comunicado da prisão dessa travesti é assinado pela mesma pessoa indicada por outra travesti, que tem como endereço uma casa na Vila Irma Dulce; - A suposta vítima, Reginaldo Neves dos Santos, declarou na Delegacia que fora atacado pelas travestis quando passava perto da CHESF, no Bairro Tabuleta, quando ia "tirar do prego" uma pessoa que estava com o carro quebrado. Em depoimento na Polícia, a pessoa indicada por Reginaldo declarou que "Reginaldo ligou para a depoente, com uma história estranha, pedindo para a depoente confirmar uma história com ele, pois, segundo ele, teria sido assaltado e queria que a depoente dissesse que havia ligado para ele, pedindo para tirar a depoente do "prego"(...) "que não é verdade a afirmação de Reginaldo, porque o carro da depoente não esteve no "prego" no dia da prisão das travestis, nem Reginaldo Ligou para a depoente naquele dia" (...) "Que Reginaldo é conhecido por Baby" "Que a depoente não sabe informar se o apelido do Reginaldo tem alguma relação com a opção sexual do mesmo".
 O Grupo Matizes enviará documento a órgãos públicos, denunciando as irregularidades cometidas na prisão de quatro travestis, ocorrida no último dia 13 de fevereiro, em Teresina. Os pedidos de providência e/ou denúncia serão encaminhados para: Corregedoria Geral da Justiça do Piauí, Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Conselho Nacional de Combate à Discriminação e Conselho Nacional de Justiça. No documento, o Matizes relatará as várias falhas e erros processuais e que estão em desacordo com a legislação penal brasileira.

COMUNICAÇÃO DE ORGANIZAÇÃO: ENTRELINHAS OS USUÁRIOS SERÃO CHAMADOS APENAS PARA POUSAR AO LADO DO GOVERNADOR!!!

Saudações,

Edileuza, pessoalmente concordo com sua proposta de integração das agendas de dialógo sobre Redução de Danos e acredito que o Comitê também, mas precisamos submetê-la a apreciação da Secretária. Seria interessante!!! Contudo, precisamos ajustar nosso entendimento sobre estas questões, avaliando a viabilidade , já que o recurso previsto inicialmente para esta ação é reduzido e as propostas a serem encaminhadas na ocasião do Seminário são amplas e variadas, a exemplo: Crack, Álcool e outras Drogas, RD, Violências, com foco no Bulling, Acidentes de Trânsito e Suicídio. Como vemos o escopo deste evento é bem complexo, mas embora seja uma empreitada arriscada, quanto ao alcance da qualidade que se espera, faz-se necessária a pontuação de todas estas questões considerando o momento político bom que hora atravessamos, com a instituição da Câmara Governamental e do Comitê Institucional - SESAPI, através dos quais as discussões tem sido trazidas para a arena... De qualquer modo a participação do usuários está prevista na programação, permeando todas as rodas de conversa. Mas sabemos que o que vc sugere é um estratégia mais específica... então vamos conversar!!!

George Cavalcante.



Edileuza, o planejamento do seminário inclui vocês, logo mais o articulador irá entrar em contato com vc. Precisamos de todos e todas. Grata , força e luz pra vc. Sandra



Força e luz para todos nós, amiga.
Sandra, esta ou estas pessoas articuladoras, seriam muito interessante se localizassem todas as entidades de usuários que congregam ads. Dona Rita, da Fraternidade o amor é a resposta, da Ilhotas, o albergue Casa do caminho ( os técnicos de lá tem experiências enriquecedoras na lida com o usuário de rua), O consultório de rua, além das tradicionais comunidades terapêuticas. Se conseguíssemos envolver representações dos Narcóticos Anônimos e AA seria fantástico (fazer cabeceira de mesa) e do outro lado da visão da abstinência, teríamos o grupo da Deusinha, se vocês conseguissem convencê-la, trazendo a perspectiva de redução de danos.
Confio ainda na sensibilidade de alguns técnicos como você.
Grande abraço,
Edileuza

terça-feira, 22 de março de 2011

FELICIDADE CLANDESTINA NA LUTA


Essa é Mirra, numa auto fotografia, não me perguntem como consegue. Aqui usando minha peruca de diaba. Muita luta, na segunda, 28, temos uma audiência no Ministério Público para que a Secretaria Municipal de Educação contrate intérpretes de LIBRAS, Língua de Sinais Brasileira para acompanhar as crianças surdas em sala de aula. Tenho estado afastada da militância para acompanhá-la no sexto ano, ainda não alfabetizada. Resolveu dormir sozinha no quarto dela. Amém!

MINHA RELAÇÃO COM ALGUMAS CRIANÇAS PSICÓTICAS
Infelizmente não tem políticas de inclusão para elas. D., menino de 9 anos, estava com a casinha caindo como em anos anteriores. Ele sempre fica em crise nestas ocasiões. Fui lá ontem numa descida de morro. A casinha caiu. Mas a familia ganhou uma casa do programa minha casa, minha vida, que a prefeitura já instalou algumas pessoas das enchentes de 2009 e inicio de 2010. Vizinhos me contaram que a familia está bem feliz com o banheiro interno.

M., menino 10 anos. Criado por avós, paciente do CAPS i, somente medicamentoso, vai apenas pegar medicação. Não tem diagnóstico. Parece distraído ou distante sempre. Não se envolve em atividades rotineiras com as outras crianças. Mas faz seu horário, exige ir embora quando quer. Muitos problemas familiares. Não tem diagnóstico. Pode ter autismo. Difícil conseguir neuropediatra. O diagnóstico infantil mais frequente do CAPS i é retardo mental leve, é um diagnóstico duvidoso, quando as crianças aparentam ter um transtorno mental quaisquer mas não parecem uma retardada, são pessoas agéis, inteligentes, aprendem, só há dias que estão estressadas ou disfuncionais como um psicótico adulto. Que luta!


COMUNICAÇÃO DE ORGANIZAÇÃO

Sem mais emails sobre a organização do encontro ad, acredito que a maioria das pessoas não querem ou não tem tempo para envolverem-se numa organização de um evento, com certeza desgastante e desalentador neste momento que a saúde mental não tem norte no Piauí. Saúde mental não é só a câmara e as câmeras para sair bem na foto com o governador. A gente sente a impotência diante do usuário, faz o que está ao alcance. Fica a indignação.

FUNCIONALIDADE
Estou dando aulas de História. Três turmas de primeiro ano do ensino médio e duas do segundo, pela manhã numa escola estadual perto da minha casa. Os alunos são adolescentes, cheios de energia, barulhentos, ansiosos. Maravilhosos... estou apaixonada por eles. Não sei se conseguirei por muito tempo. É preciso jogo de cintura, conseguir conquistar a atenção e interesse deles para a disciplina, falando também do que eles querem ouvir ou precisam, para serem educados para uma vida com valores mais solidários e ao mesmo tempo para a competitividade do mundo do trabalho. Hoje fiquei muito cansada. Amanhã saberei resultado de perícia médica para mudança de função.


ATIVIDADES DA MINHA TERAPIA COGNITIVA

A horta de ervas para chá está crescendo, já estou colhendo hortelã.
Mas acho que não sei ainda trabalhar direitinho com o solo. Um tomateiro brotou do nada e já tem pequenos tomates. Plantei também roseiras, já nordestinas, acostumadas com sol.
Dormindo ouvindo meditação induzida há duas semanas, tenho sorrido mais no dia seguinte.


segunda-feira, 21 de março de 2011

EITA!!!!


Cara Edileuza;
 
Infelizmente eu não estava sabendo do I SEMINÁRIO DE ENFRENTAMENTO AO CRACK E OUTRAS DROGAS, se você puder me informar um pouco mais. O CES não esta participando da organização, pelo menos não que eu saiba...
Se vc. puder me informar vou repassar essas informaçõe para o CES e assim poderemos enviar um oficio a SESAPI e pedir um assento nesta comissão.
Acho que o controle social não pode  ficar de fora deste importante evento.
 
Um abraço
 
Isabel
GEMDAC
Conselheira Estadual de Saúde

CORRESPONDÊNCIA DE ORGANIZAÇÃO

Vocês devem seguir nesta luta. Só os usuários podem mudar o rumo da prosa ao enfrentamento (palavra policial,não?)
As comunidades estão se impondo com sua terapia moral. Lutemos...

-- mens. original --
Assunto: RE: I ENCONTRO ESTADUAL DE USUÁRIOS AD: REDUÇÃO DE DANOS
De: LOUCA PELA VIDA lima
Data: 21/03/2011 13:58

Edmar Oliveira, psiquiatra. Piauiense, radicado no Rio de Janeiro

Olá companheira Edileuza, acho bastante oportuno a fala e manifestação coletiva das pessoas que sofrem intensamente em decorrência do alcool , drogas e outras dependências. Pois, nós profissionais aprenderemos nesse contato.Acho tbm oportuno momentos como: a)Organização da construção de grupos de apoio na rede; b)O  sofrimento do homem que usa alcool e/ou drogas- conhecimento do seu está no mundo.
Abraços Idalina
Idalina é Psicóloga, tanatóloga, coordenadora de CAPS, de Oeiras, nesse momento em Floriano

Oi Edileuza,
Parabens...Achei maravilhosa a ideia.....A Lorena, enfermeira no mestrado de enfermagem acabou de defender uma dissertação com uma pesquisa de adolescentes gravidas e usuários de drogas.....Muito grave a situação deste segmento.......Sugiro ainda incluir a discussão de Crianças e adolescentes usuários de SPA.....creio que a visão disso é sempre adultocêntrica.....e falocêntrica...A inclusão da mulher, foi excelente sacada
Sucesso
Abs
Lucia
Lúcia Rosa, professora do departamento de Serviço Social da UFPI, grande colaboradora da causa da saúde mental no Piaui.




I ENCONTRO DE USUÁRIOS AD: REDUÇÃO DE DANOS / POLÍTICAS DE ENFRENTAMENTO AD,PROTAGONISMO E AUTOCUIDADO

CORRESPONDÊNCIA DE ORGANIZAÇÃO - email mais recente.
Companheiros e companheiras, técnicos comprometidos com que a politica chegue de fato até o usuário com qualidade, usuários e familiares passei hoje na sala da Gerência de Saúde Mental, que continua sem um (a) gerente oficial. A assistente Social Rosário Nunes responde pela coordenação de CAPS... isto é até onde a informação me chega. Estavam reunidos lá profissionais que compõe o comitê estadual de enfrentamento ao crack e outras drogas, segundo informações que colhi são em número de 8 pessoas, as quais só conheço por nome a psicóloga Sandra Cunha (DTs/SESAPI) e Rosário Nunes. Não conheço as outras pessoas, não soube o nome delas, já que todas não estavam presentes. É a CÂMARA TÉCNICA DO GOVERNADOR que estavam enquanto comitê organizando o I SEMINÁRIO DE ENFRENTAMENTO AO CRACK E OUTRAS DROGAS. Sugiro que nós outros técnicos com experiência com usuários,usuários e familiares possamos "colar" nesse seminário e fazermos o nosso em conjunto. A câmara técnica, sem, técnicos com muita técnica precisa nos ouvir. Ouvi algumas idéias lá, que são nossas, que estão nestes emails. E não nos chamam oficialmente para construir, porque infelizmente não se cumpre ou não se cobra deliberações de conferências de saúde; precisamos está junto enquanto controle social. E a própria estrutua material que estaríamos usando seria a mesma do seminário de enfrentamento.
Só que não posso sozinha enquanto Ninho, pessoalmente enfrento grandes dificuldades por conta de minha filha surda neste semestre no sexto ano sem ainda está alfabetizada, estou numa grande luta para que consigamos interprete para salas de aula. Mas nas minhas limitações posso está cooperando no sentido de sugerir que façamos um fórum de entidades que redija um documento para a câmara solicitando que o evento organizado pelos usuários seja junto, na mesma data e local do seminário da câmara. Temos que ser rápidos porque a idéia do seminário de enfrentamento segundo ouvi é para finais de abril. Marcamos uma reunião e já convidamos este comitê. Por que não a sala da gerência de saúde mental? Dos projetos especiais ou DTs? Aguardo respostas. Ou encerramos este projeto por aqui. Sou da crítica, mas sou da formulação de perspectivas de solução.
Abraço de luta para todas e todos
Edileuza


CORRESPONDÊNCIA DE ORGANIZAÇÃO

Ricardo Cruz - JUVENTUDE
Célia -APROSPI
Lúcia Rosa - UFPI
Fabiana - Assistente Social
Sueli - Jornalista (Ninho)
Narciso - Ex Educação permanente (SESAPI), assessor da APPM, terapeuta comunitário
Magali - FAP, mestranda de políticas públicas UFPI
George - Psicólogo, SESAPI e comunidades de terreiro.
São pesssoas que já responderam ao email. Gente, precisamos de mais gente disponível
para organização dum encontro que faça a diferença e marque o protagonismo do usuário que conhece seus direitos, poder de organização e empoderamento. Só professora Lila dá o resultado se poderemos usar a sala do CCE do centro, marcaremos o primeiro encontro. Senão busquemos outro espaço, desde que seja central e que tenhamos certa permanência de usá-lo aos sábados, sugiro que seja sempre a tarde. 
Abraços,
Edileuza 

CORRESPONDÊNCIA DE ORGANIZAÇÃO 01

Subject: I ENCONTRO ESTADUAL DE USUÁRIOS AD: REDUÇÃO DE DANOS
Date: Wed, 16 Mar 2011 22:22:06 +0000

Olá companheiros,
Baseado em experiências passadas de encontros em saúde mental, há sempre o excesso de falas de técnicos... penso que as politicas de enfrentamentos ad podem senão pensadas, repensadas, discutidas com a parte mais interessada que o usuário. Fazer um encontro de usuário ad, será uma quebra de estigma, um estímulo ao protagonismo e autocuidado dos e das camaradas.
O Amigo no Ninho propõe: I ENCONTRO ESTADUAL DE USUÁRIOS AD: REDUÇÃO DE DANOS
Políticas de enfrentamentos ad, protagonismo e autocuidado.

Podemos melhorar e as temáticas poderão ser:

Experiências estaduais de redução de danos
Dependência química feminina
Oficina: Meditação para dependência química
Oficina: Sexo seguro e ad

Outras temáticas podem ser acrescentadas...
Poderíamos está envolvendo várias entidades que trabalham com ads
Data: ( previsão p/ maio)
Deusinha, George, Célia, Ricardo, João ... vamos construir? Repassem para interessados par apodermos sentar
Abraço,
Edileuza

domingo, 20 de março de 2011

LIBERDADE PARA MANIFESTANTES

Meus Amigos, e amigas... Ontem enquanto cerca de 400 militantes da CSP Conlutas e PSTU realizavam um ato contra a presença de Barack Obama aqui no Brasil, enquanto os companheiros e companheiras realizavam a manifestavam um grupo de ultra esquerda (LOC) lançou um coquetel molotv na embaixada estadunidense o que desencadeou uma forte repressão em todos e todas as militantes que estavam no ato, foram presos 13 militantes, nenhum dos que jogaram o coquetel molotov, e o governador do RJ Sérgio Cabral e a presidenta Dilma ligaram para a delegacia e orientaram pessoalmente a prisão dos companheiros e companheiras que estão sendo encaminhados/as para o presídio ainda hoje. Portanto leiam o abaixo assinado e assinem reduaindo esta atitude autoritária do governo brasileiro.
 Acabei de ler e assinar este abaixo-assinado online:

«Libertação imediata dos 13 presos políticos, que protestavam contra a visita de Barack Obama ao Brasil. »


Eu concordo com este abaixo-assinado e acho que também concordarás.


Assina o abaixo-assinado aqui http://www.peticaopublica.com.br/?pi=PSTU e divulga-o por teus contatos.

Obrigado.

PSTU
Esta mensagem foi enviada por PSTU (pstu@pstu.org.br), através do serviço http://www.peticaopublica.com.br em relação ao abaixo-assinado http://www.peticaopublica.com.br/?pi=PSTU


Abraços...

Marcos F. Lima...


Pessoalmente acho energia desnecessária gasta numa manifestação contra a presença de um presidente americano, que como dizem tantos articulistas é meramente figurativo, representante das classes conservadoras americanas, levando em conta que votamos em Dilma ( me incluo) que também representa interesses das classes altas brasileiras, com um magote de politico ricos que chegaram no senado e câmara federal este ano e outros pobres que enriquecerão rapidinho. Já fiz movimento estudantil e corri todos estes riscos, a meninada "brinca" mesmo sob orientação de alguns "tios" já com mestrado, de fazer "racha" de tendência. Dá nisso, radicais, ultra e outras denominações que não fazem a coisa em conjunto.  Fariam muito mais organizando algo como conselhos populares de formação politica, ensinar o povo ler, escrever com Paulo Freire, Gramsci, Marx... um projeto a longo prazo para formação de eleitores mais conscientes. Ou estes grupos deveriam está muito voltados com manifestações e tudo para a questão da reforma política, enfatizando sempre a necessidade da ficha limpa. Ou uma mega marcha não de 400 manifestantes,mais de 400 mil contra essa merreca des salário mínimo dia primeiro de maio. Antiamericanismo que fanatiza a ação, que precisa ser racionalizada, não débil e tola. Agora a merda está remexida e fedida. Resta assinar esta petição, saber as reais condições legais da prisão, como  se encontram e de repente podemos torcer que apareça um político de esquerda realmente, que faça a intermediação para a soltura dos companheiros. Dilma terá esquecido o pau-de-arara? Será que ela foi para o pau-de-arara? Que que isso, companheiros?

sábado, 19 de março de 2011

No próximo dia 21 de março novamente estaremos comemorando datas para não esquecer. Os esquecimentos precisam ser vencidos pelo desejo de viver outras experiências, de podermos traçar novas cartografias, vivenciar outras intensidades. Uma dessas vivências eu trago na minha própria pele. É, por isso, que me lembro do Dia Internacional pela Eliminação do Racismo, que foi instituído para rememorar o Massacre de Shaperville, ocorrido em 1960, em pleno Apartheid, quando negros sul africanos foram massacrados pelo exército. Estes negros entram para a história, junto com Mandela, no seu movimento de resistência ao modelo racista e eugenista da Africa do Sul. Um modelo que adocicamos na América Latina e, na Terra Brasilis, é o chamado racismo cordial, e permanece ainda negado por muitos.

Por isso precisamos incluir + 1 negro nas comemorações que se farão neste mês. Temos de incluir um Negro com Síndrome de Down, ou seja, uma diferença que denote e conote criticamente a Diferença. Ao pesquisar a soma das palavras negros + síndrome de down na Internet, em busca de respostas, o que encontrei foi a confirmação de um modelo excludente naturalizado: as perguntas são sobre a existência, como anomalia, de presença da síndrome de down entre pessoas da ''raça'' negra. A pergunta que muitos se fazem: " é verdade que a Síndrome de Down não ocorre em pessoas com a pele negra?"
Caramba... tantas lutas coletivas. Viva tanta gente que não esquece como Jorge Márcio. Ler mais:

PORQUE OS NORMAIS NÃO DEIXAM OS LOUCOS FORA DISSO?

TRÍPOLI - O ditador líbio Muamar Kadafi disse nesta sexta-feira que transformará num inferno a vida de qualquer um que atacar o país, depois que a ONU autorizou ataques aéreos contra as forças do governo.
"Se o mundo ficou louco, nós também ficamos. Responderemos. Suas vidas se transformarão num inferno", disse Kadafi, falando à rede de TV estatal RTP, poucas horas depois da aprovação de uma resolução do Conselho de Segurança da ONU autorizando ataques aéreos contra o país.
"O que é este racismo? O que é este ódio? O que é esta loucura?", indagou Kadafi.

Mais cedo, o filho do ditador, Saif al Islam Kadafi, disse que a Líbia não tem medo do ataque de outros países. "Estamos em nosso país e com nosso povo. E não temos medo", disse ao programa News Nightline, do canal americano ABC.
"Não teremos medo. Venham! Não vão ajudar o povo se bombardearem a Líbia para matar líbios. Destruirão nosso país. Ninguém está feliz com isso", acrescentou.
Jornal do Brasil

O que é a loucura? Sede infinita pela poder, ditadores bilionários, excêntricos, li que a guarda pessoal dele é composta de mulheres virgens. Um homem chei de extravagâncias a custa de dinheiro público, claro. Há 42 anos no poder, matando pessoas que não concordam com ele. E os outros é que são loucos? Normal é criatura que louco tem que ter paciência.

sexta-feira, 18 de março de 2011

SAÚDE MENTAL NOS TERREIROS

16/03/2011

VIII Seminário Nacional Religiões Afro-Brasileiras e Saúde

 
Vice-governador Moraes Souza Filho dirigiu reunião no  Karnak

Nesta terça feira (15) o vice-governador Moraes Souza Filho dirigiu reunião no Salão Branco do Palácio de Karnak para viabilizar apoio do Governo do Estado ao VIII Seminário Nacional Religiões Afro-Brasileiras e Saúde que vai acontecer de 29 de abril e 1º de maio no Auditório da Fiepi em Teresina.
A diretora de programas da Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Silvany Eucênio, é a articuladora do evento. A diretora esteve representando a Presidência da República.Moraes Souza acolheu todas as demandas do movimento negro.
Por Larissa Ravena
Edição Blog do Pessoa
Blog do Pessoa
 
O Ninho terá quinze minutos de exposição sobre saúde mental e axé numa roda de conversa. Espaço conquistado a longas inserções e cobranças no seio dos movimentos socias locais. Agradecemos a organização de Rondinele e Nelson Muniz nossos  parceiros na luta pela visibilidade do tema da saúde mental.

PSIQUIATRIA SEM HOSPÍCIO

POR UMA CLÍNICA DA REFORMA PSIQUIÁTRICA: COM SUBJETIVIDADE, MEDICAÇÃO COM MENOS EFEITOS COLATERAIS E MAIOR PODER DE RESOLUTIVIDADE ASSOCIADA A PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES.