quarta-feira, 15 de junho de 2011

MANUAL DE SOBREVIVÊNCIA PRÉ - CRISE!

SAÚDE EMOCIONAL: o namorado normal capou o gato. Deixa. Nesse mundo de violência contra mulher, não brigamos, não nos ligamos, sem delegacia, já é ganho. Professora e músico piauiense são pobres demais para se manter namorados. Putz!


FRUSTRAÇÃO: Beatriz faz quinze dias de internação no HAA, não irei visitá-la. Faço campanha entre amigos para arrecadar fundos para a construção de um muro na frente de sua casa, para protegê-la da rua e proteger os vizinhos de sua pedradas. Um ano de estabilidade, sem acesso a um trabalho protegido, pobreza, falta de letramento... o manicômio tem sua presa para sempre, talvez agora sem volta.

FELICIDADE BESTA:  um senhor do interior do Piaui, aquele tipo mestiço de quem fala Edmar Oliveira, me chama de comadrinha e a cachaça de maldita. Está firme no AA e me falou hoje que é bom está com a irmandade, não fica em casa deprimido e nem perto dos parentes que bebem. Legal.

TRISTEZA: não consigo mais estudar três horas diariamente. A mente entra em pane, mesmo dividindo os horários. A invalidez me deprime.

LUTA DESIGUAL: as formigas vermelhas e cruéis destroem minhas ervas, comem até a erva cidreira. A calda de fumo não está resolvendo. Hoje coloquei sal no solo. Não quero usar formicida sintético. As ervas servem para chá. Alguém conhece algum outro orgânico, além do fumo? Se as pestinhas comerem meu manjericão que está lindo... vou piorar.

2 comentários:

Macabéia disse...

olá inesquecível poeta de "Vanessa" nunca esqueci o seu poema viu?Lindo lindo lindo...
Não entre em crize...
não fique triste
confesso que hoje eu me senti pequenininha..a depressão quis tomar conta,eu me senti cada vez mais muída encolhendo encolhendo...
mais agente tem que tentar.Sei da força que tenho dentro de mim e você também tem,vivendo e aprendendo a jogar mermão!
Rsss
bjos
=)

LOUCA PELA VIDA disse...

Bem, nunca escrevi "Vanessa". Não sou boa de verso, meu lance é prosa.
Quanto a p... da crise ela virá com certeza. Só me resta me preparar para enfrentar o olho do furacão.
Obrigada pela solidariedade,
Edileuza

PSIQUIATRIA SEM HOSPÍCIO

POR UMA CLÍNICA DA REFORMA PSIQUIÁTRICA: COM SUBJETIVIDADE, MEDICAÇÃO COM MENOS EFEITOS COLATERAIS E MAIOR PODER DE RESOLUTIVIDADE ASSOCIADA A PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES.