terça-feira, 7 de dezembro de 2010

FELIZ !!!!

A amiga que se encontrava internada no HAA, finalmente saiu. Morando longe, minha preocupação era como acompanhá-la. Mas a rede vai funcionando, descubro que na clínica Batista, tem psicoterapia para dependência química, por acaso encontro uma senhora amiga da família. Entrego-lhe o folder, sem acreditar muito que chegará até ela. Sou ecumênica, muito religiosa, mas não  frequento templo algum, a senhora evangélica, me olha sempre desconfiada, agulhinhas na orelha e falo em passe: macumbeira!! Ligo hoje pela manhã, a mãe me informa que a amiga havia saido para sua primeira sessão com a psicóloga. Bingo! Torço muito. Espero que a amiga tenha se identificado com o serviço.




Há uns dois anos acompanhamos assistematicamente uma senhora ( antiga conhecida) com várias internações Meduna e HAA, evangélica, interlocução difícil, suspende a medicação convencional, adoece, não faz manutenção com psiquiatra. Problemas familiares que acabamos nos envolvendo mais. Marcamos duas vezes consulta no CAPS sudeste. Esta apesar de prometer, não compareceu nunca.Louca pela Vida zangada, é melhor sair de perto: conversa séria e definitiva, daquelas vezes que digo que cansei e estou desistindo da criatura. Hoje a filha adolescente muito feliz, anuncia que esta finalmente aceitou tratamento, foi ao CAPS, refez medicação e já demontra mudança de comportamento favorável a harmonia em casa. Legal.


Ailton Emerson terminou sua monografia. "O outro lado da moeda é o sofrimento": Os impactos do trantorno mental nas sociabilidades juvenis. Mais um assistente social. Esperemos que mais dos nossos consigam seus diplomas de curso superior, em menos tempo, com mais acessibilidade, Ailton é um pioneiro na UFPI, em assumir e lutar para garantir direitos ao estudante que vive passível de sofrimento psiquico.

Acho que como nos filmes de ação, o negócio é cair no chão e continuar atirando... bom está assintomática!!!

Um comentário:

Rosemar disse...

Olá. Parabéns pelo blog, obrigada por divulgar o blog da Reforma Psiquiatrica, dei RT em vcs, muito bom o conteúdo. Valeu!

PSIQUIATRIA SEM HOSPÍCIO

POR UMA CLÍNICA DA REFORMA PSIQUIÁTRICA: COM SUBJETIVIDADE, MEDICAÇÃO COM MENOS EFEITOS COLATERAIS E MAIOR PODER DE RESOLUTIVIDADE ASSOCIADA A PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES.