sábado, 17 de julho de 2010

RECURSOS DE SAÚDE NA COMUNIDADE

Leitora do Ninho pergunta-me sobre minha participação em atividades de saúde mental no Centro Espirita Fabiano de Cristo, respondo: não há esta atividade neste centro. E pelo eu que saíba em nenhum centro espirita kadecista teresinense existe atividades intencionalmente de apoio espirita em saúde mental, sonho meu e luta de foice há doze anos com os kardecistas. Só consegui em 2003 fazer um curso de 16 horas sobre a Recepção da pessoa com transtorno mental na casa espirita para os trabalhadores do Irmão Adriano no Monte Castelo. No Fraternidade Espirita André Luis no Dirceu I, já houve uma psiquiatra voluntária, hoje um clínico geral que se necessário receita a medicação. Nada contra, se a equipe se preocupasse em acompanhar esse usuário, orientá-lo que este deveria a partir daquele momento, procurar um especialista. Depois de ouvir de alguns trabalhadores que Rivotril (clonazepan), 2mg é remedinho mágico, fraquinho etc. Tentei ministrar uma palestra ou curso sobre a possível Terapeutica Espirita para o Transtorno Mental, baseada em vasta bibliografia espirita sobre a temática e as práticas de cura espirita que podem complementar o tratamento medicamentoso. Não consegui. Negra, pobre, louca, sem registro no CRM. Nem pensar. Mas afirmo que os espiritas não sabem, mas contam com precioso recurso de saúde na comunidade. Estou tentando novamente no Fabiano de Cristo, convencer Marineves Saraiva, amiga de longa data e coronel Lucimar na FEPI. Não me respondem os emails.
Interessante que água em pedra dura com insistência fura mesmo! Descobri que o Fabiano de Cristo tem um trabalho de vibração para suicidas às quartas-feiras e um centro que ainda não conheço, Luz do Porvir no Irmã Dulce tem vibrações para dependentes químicos.
A igreja Messiânica, não sei muito sobre ela, parecem-me que não são proselitistas, tem centros de Jhorei, uma técnica de transmissão bionergética. Não conversam muito, não fazem perguntas e nem doutrinam. Aplicam o jhorei de frente e nas costas. A gente melhora e vai embora e ainda ganha uma flozinha, numa técnica que se chama ikebana.
Considero as práticas instropectivas de meditação, espiritualidade, propulsoras de estados emocionais mais equilibrados, de serenidade, extremamente válidas como práticas integrativas e complementares. A "medicina" complementar ainda é bastante cara para a maioria. Há casas religiosas que oferecem-nas gratuitamente. O negócio é deixar o preconceito de lado e pensar em prevenção de recaídas.

Um comentário:

Paula sm disse...

preciso de ajuda para divulgação do blog para continuar limpa é sobre dependencia quimica..... tou passando por mals bocados! se puder me ajudar eu agradeço, vi que seu blog tem mtas propagandas..... Obrigada!

PSIQUIATRIA SEM HOSPÍCIO

POR UMA CLÍNICA DA REFORMA PSIQUIÁTRICA: COM SUBJETIVIDADE, MEDICAÇÃO COM MENOS EFEITOS COLATERAIS E MAIOR PODER DE RESOLUTIVIDADE ASSOCIADA A PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES.